Sprint! Aplique ideias em 5 dias!

Em um mundo de aceleradas mudanças, o tempo nem sempre é um ativo que está disponível de forma abundante, por isso quando se pensa em criação de novos produtos e serviços, é necessário encontrar caminhos que aceleram o processo para o lançamento no mercado.


Surgiu assim, no Google, uma metodologia rápida de desenvolvimento, criação e teste de novos produtos e serviços: o Design de Sprint. Sprint quer dizer “arrancada” e tem o significado de acelerar, como em uma corrida, o processo de criação de novas ideias. Essa metodologia é usada para validar ideias de uma forma estruturada e eficaz ao pensamento criativo, de modo que são definidos 5 passos a serem realizados em 5 dias com a colaboração de toda a equipe.


O Design Sprint se popularizou com o livro Sprint, escrito pelos designers Jake Knapp, John Zeratsky e Braden Kowitz, que integraram o time do Google Ventures. É uma bibliografia recomendada, visto que por trás de toda a jornada estão conceitos trazidos de lá. Em cada dia do método, de segunda a sexta-feira, existe um script a ser cumprido, percorrendo as fases conforme constam na ilustração abaixo:


  1. Entender: Aqui é muito importante mapear o problema, ouvir clientes e especialistas, realizar pesquisas para de fato definir o que será resolvido.

  2. Divergir: É hora de colocar pra fora todas as ideias e alternativas de possíveis soluções. O importante é explorar todas as possibilidades, sem medo de parecer estranho ou impossível.

  3. Decidir: Agora sim é preciso definir qual ideia será levada adiante para o protótipo e testes. Aqui podem ser feitas votações para decisão de 1 ideia principal e é importante que todo time esteja de acordo.

  4. Prototipar: De forma mais simples e rápida possível, mas ainda assim aplicável, é hora de criar o protótipo da ideia para que os testes sejam feitos.

  5. Validar: Chegou a hora dos testes! Comprove a eficiência e eficácia da solução pensada. Realize pesquisas para validar as hipóteses.


Depois de realizada essas etapas (aqui explicadas de forma muito breve), a empresa vai entender se o projeto deve ter investimento ou não.


Uma das características muito importantes dessa metodologia é que todos os integrantes do grupo devem estar alinhados e com suas tarefas claramente definidas para o atingimento do resultado final em conjunto. Além disso, todas as etapas do processo são pensadas para incentivar a inovação, com atividades criativas, testando possibilidades, acertando, errando e aprendendo.


Case BetaHauss


Pense nesse cenário: O mercado vem mudando em alta velocidade, os players entrantes são muitos e altamente competitivos e o negócio quer explorar novas frentes para se manter relevante e competitivo.


Este foi o ponto de partida deste projeto, cujo cliente é uma instituição financeira com operação global e um forte viés para um segmento específico desde a sua fundação.

Para isto, fizemos os seguintes movimentos:

a) Desenvolvemos as lideranças para se tornarem aptas a facilitar a inovação dentro do negócio.


b) Exploramos com as lideranças os principais desafios do negócio e clusterizamos em 3 grandes desafios, que deveriam ser atacados pela Sprint.


c) Separamos um time de mais de 20 colaboradores para auxiliar na construção de soluções para esses 3 grandes desafios.


d) Conduzimos uma Sprint de Inovação onde aprofundamos os problemas, exploramos soluções, definimos e prototipamos soluções e testamos e iteramos com usuários reais.

Como resultado:

1 - Os líderes se capacitaram como agentes de transformação e todos os participantes tiveram um aprendizado residual importante da metodologia aplicada.


2 - Três soluções foram concebidas, das quais duas já estão operacionais e trazendo resultados importantes.

3 - A operação nacional se tornou um case de inovação e benchmark para todo o grupo mundo afora.

4 - A equipe se sente hoje muito mais empoderada a arriscar, pertencente ao negócio, encorajada para realizar atividades novas e encarar um período de grandes mudanças na empresa.


Workshop Experience-Centric Innovation


Recentemente realizamos um workshop chamado Experience-Centric Innovation. Muito mais do que uma fala que trouxe aspectos relacionados a novos comportamentos e a forma como eles estão moldando a sociedade e os negócios, a ideia é que fosse (e foi) um momento importante de trocas e aprendizados entre os convidados, dos mais diferentes setores, e que pudessem explorar pontos de atrito nas jornadas dos seus clientes e co-criarem soluções que neutralizassem esses momentos e transformassem eles em momentos wow.


Assista como foi:


Precisando inovar e não sabe por onde começar?

Conte com a BetaHauss para isso!


Faça um pré-diagnóstico sobre o poder de transformação do seu negócio e vamos juntos entender por qual frente começar.



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo