7 FATORES DA CRIATIVIDADE E GERAÇÃO DE VALOR


Quando falamos em Transformação Digital pressupomos cultura, estratégia, competências e desenho organizacional alinhados a inovação. A inovação, por sua vez, muito mais do que um dom é resultado de práticas organizacionais que objetivam e geram valor tanto a empresa quanto a quem a pratica.


As sete estratégias de criatividade de Teresa Amabile, da Harvard University são um caminho para empresas que desejam desenvolver  uma cultura inovadora onde as boas ideias floresçam. São elas:


1- Definição de Metas Transparentes

O paradoxo de Amabile é que as metas organizacionais devem ser claras o suficiente para alinhar os membros da equipe e concomitantemente, soltas o suficiente para que as equipes tenham autonomia para atingir essas metas. Esta autonomia e maior liberdade de ação permitem combinar ideias e perspectivas novas, fazendo aflorar a verdadeira criatividade.


2- Atribuição de trabalho que corresponde aos interesses dos colaboradores

Quando as pessoas consideram que seu trabalho é significativo, também o considerarão motivador. Membros da equipe motivados são mais persistentes e dão mais feedback ao sistema, contribuindo para melhorar os índices de inovação. 


A principal tarefa da gestão inovadora é unir o trabalho que precisa ser realizado com os colaboradores que tenham a habilidade e o interesse para fazê-lo. Esta simples combinação fornece uma melhor possibilidade de fazer a inovação acontecer, porque o trabalho é mais significativo para o indivíduo.


3- Sistemas abertos de comunicação

A organização permite a inovação desabrochar quando cria sistemas abertos de comunicação que facilitem o intercâmbio, colaboração e coordenação de ideias tanto no ambiente interno quanto com o ambiente externo. 


4- Feedback frequente, construtivo e de apoio

O conceito que inovação acontece como um lampejo mental raramente acontece no mundo real. Ao invés disto, o processo inovador acontece como uma série de pequenas observações, recombinações lógicas e pequenos experimentos que fornecem um feedback rápido, permitindo a adaptação das organizações.


5- Recompensas e reconhecimento equitativos e generosos

Os sistemas organizacionais devem apoiar os objetivos da empresa. Assim, se a organização pensa em desenvolver a cultura da inovação, deve recompensar e reconhecer o comportamento inovativo, inclusive a assunção de riscos, mesmo diante de resultados que ainda não são sejam imediatamente positivos.


6- Ausência de burocracia desnecessária

A burocracia pode sufocar a inovação ao criar muitos atrasos ou pela turbulência institucional que desacelera a inovação até o ponto de torná-la irrelevante. Também pode desmotivar os empregados inovadores ao colocar obstáculos desnecessários em seu caminho. 


7- Colaboração de apoio - Inovando de forma aberta

A última etapa para incentivar a cultura da inovação é inovar de forma aberta. A colaboração de apoio entre equipes, tanto internamente quanto externamente às organizações são fundamentais para acelerar uma cultura inovadora.


Entendemos que a capacidade de se transformar, de se adaptar à novas realidades é um importante fator para manter o negócio vivo e competitivo neste cenário de rápidas e profundas mudanças. Serão as empresa com o maior PODER DE TRANSFORMAÇÃO as protagonistas dos seus mercados no breve futuro. Não deixe de realizar o diagnóstico do seu negócio em www.betahauss.com/diagnostico e conte conosco para empoderar seu time e escrever um futuro de maior sucesso para sua organização.


Somos beta. Somos BetaHauss


* Texto referenciado pelas ideias de Teresa Amabile, da Harvard University.

58 visualizações

@BETAHAUSS

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle

Whatsapp e ligações: (51) 99191.1071

Porto Alegre | São Paulo [e todo Brasil]

BetaHauss © 2019  - Todos os direitos de inovar.