top of page

6 Ferramentas de Planejamento Estratégico para Potencializar Resultados

Navegar pela complexidade do mundo dos negócios requer uma abordagem estratégica e bem planejada. Aqui estão seis ferramentas que aplicamos nas jornadas da BetaHauss de Planejamento Estratégico e OKRs.



6 Ferramentas de Planejamento Estratégico para Potencializar Resultados

1 - Mapa de Visão Compartilhada


Essa ferramenta ajuda a criar uma visão compartilhada que seja única para sua organização e que possa alinhar funcionários, investidores e outros stakeholders dentro da sua Transformação Digital.


O Mapa de Visão Compartilhada foca em quatro elementos principais:

  • Paisagem Futura: Refere-se à visão da organização sobre o futuro do seu mercado e contexto de negócios.

  • Direito de Vencer: Trata das forças e limitações da organização, que determinam seu papel no mercado.

  • Impacto da Estrela do Norte: É o impacto de longo prazo que a organização deseja alcançar.

  • Teoria de Negócios: Relaciona-se com a estratégia da organização para gerar valor e obter retorno sobre seus investimentos.

Essa ferramenta pode ser aplicada em diferentes níveis dentro de uma organização, seja em toda a empresa, em uma unidade de negócios específica, em determinadas funções ou até mesmo em equipes individuais.


2 – Declarações de Problemas/Oportunidades


Esta ferramenta tem como objetivo ajudar as organizações a identificar e definir suas prioridades estratégicas, bem como a gerar ideias inovadoras em todos os níveis da empresa.


As Declarações de Problema/Oportunidade (P/O) são descrições claras de oportunidades estratégicas ou problemas que a empresa ou seus clientes podem enfrentar. A ideia é que, ao identificar essas oportunidades ou problemas, a organização possa gerar múltiplas ideias para inovação.


Um aspecto importante das declarações P/O é que elas devem focar no resultado desejado (ou seja, onde a organização quer criar e capturar valor) sem se prender a uma solução específica desde o início. Isso permite uma abordagem mais aberta e criativa na busca por soluções.


3 – Matriz de Problemas/Oportunidades


Essa ferramenta é projetada para organizar e esclarecer uma lista curta das declarações P/O mais importantes para qualquer negócio, divisão, unidade, função ou equipe.

Ela é estruturada em duas dimensões principais:

  • Problema vs. Oportunidade: Estas são as duas perspectivas através das quais a estratégia pode ser definida.

  • Cliente vs. Negócio: Representa os pontos de vista dos stakeholders, sejam eles externos (clientes) ou internos (negócio).

Com base nessas dimensões, a matriz é dividida em quatro quadrantes:


1. Problemas do cliente

2. Problemas de negócios

3. Oportunidades do cliente

4. Oportunidades de negócios


Cada um desses quadrantes ajuda a organização a identificar e priorizar diferentes áreas de crescimento e oportunidades que poderiam ser negligenciadas sem essa abordagem estruturada.


Essa matriz pode ser aplicada em diferentes níveis da organização, seja para o negócio como um todo, uma divisão específica, uma função ou até mesmo uma equipe. Ao usar a matriz, é essencial identificar os clientes ou stakeholders mais relevantes para o nível em questão, pois isso influenciará a forma como a estratégia é definida e priorizada.


4 – Quatro Estágios da Validação


Esta ferramenta foi desenvolvida para ajudar equipes de inovação a sequenciar e organizar a experimentação de negócios, uma área frequentemente confusa para muitos.

Os Quatro Estágios da Validação têm como objetivo ajudar as organizações a validar diferentes aspectos de uma inovação:


  • O Problema: Refere-se ao problema específico que a inovação pretende resolver.

  • A Solução: Trata da solução proposta para resolver o problema identificado.

  • O Produto: Refere-se ao produto ou serviço que será oferecido ao cliente.

  • O Negócio: Relaciona-se com a viabilidade e sustentabilidade do modelo de negócios

  • proposto.


Cada estágio é caracterizado por uma série de questões e métricas específicas, bem como pelo uso ideal de MVPs (Produtos Mínimos Viáveis) e pelas potenciais ameaças ao sucesso da inovação.


É importante validar todos os quatro estágios para garantir que uma inovação não apenas atenda às necessidades do mercado, mas também seja sustentável e viável como um modelo de negócios.


Além disso, os Quatro Estágios da Validação não se aplicam apenas à inovação de produtos, mas também a outras áreas de negócios, como marketing, vendas, recursos humanos, gestão de riscos e cadeia de suprimentos.


5 – Navegador de Crescimento


Esta ferramenta é um mapeamento visual projetado para auxiliar novos empreendimentos a navegar pelos Quatro Estágios da Validação.


O Navegador de Crescimento é versátil e pode ser aplicado a diferentes tipos de empreendimentos de crescimento, desde produtos inovadores até otimização de operações de negócios.


A ferramenta é composta por quatorze "blocos" que ajudam a capturar:

  • Suposições de negócios atuais.

  • Aprendizados experimentais até o momento.

  • Áreas que ainda precisam ser testadas e aprendidas.

Ao consolidar todas essas informações em um único diagrama, a ferramenta oferece uma visão clara e unificada do empreendimento, facilitando o alinhamento entre a equipe e os patrocinadores ou stakeholders.


O Navegador de Crescimento é especialmente útil em reuniões, onde pode orientar discussões sobre progresso, aprendizados e próximos passos. Ele serve como um guia ao longo de todo o ciclo de vida da inovação, desde a concepção inicial de uma ideia até sua implementação e entrega em grande escala.



6 – Mapa Cultura-Processo


Esta ferramenta foi criada para auxiliar organizações a desenvolver e cultivar uma cultura organizacional que não apenas reflita sua identidade única, mas também apoie sua visão e estratégia futura.


O Mapa Cultura-Processo é estruturado em três tarefas principais:

  • Definir a Cultura Desejada: Esta tarefa envolve identificar e articular a cultura que a organização aspira ter. Isso é feito definindo mentalidades e comportamentos que estão alinhados com a estratégia da organização.

  • Comunicar a Cultura: Uma vez definida a cultura desejada, é essencial comunicá-la efetivamente aos funcionários. Isso é feito através de histórias, símbolos e ações que são não apenas memoráveis, mas também ressoam e inspiram os funcionários.

  • Habilitar a Cultura: Esta tarefa envolve garantir que os processos diários de negócios estejam alinhados com a cultura desejada. Isso significa ajustar e otimizar processos para que eles promovam os comportamentos desejados, em vez de serem um obstáculo para eles.

Em resumo, o Mapa Cultura-Processo é uma ferramenta que ajuda as organizações a definir, comunicar e implementar uma cultura que esteja em sintonia com sua estratégia e visão futura.


Essas ferramentas fornecem um roteiro robusto para empresas que buscam transformar suas operações. Ao adotá-las, as organizações podem alinhar suas equipes, estratégias e operações para navegar com sucesso pelo complexo panorama da transformação digital.


Na BetaHauss, a integração de ferramentas de planejamento estratégico avançadas em nossos projetos de Planejamento Estratégico e OKRs é fundamental para o sucesso e a inovação contínua. Essas ferramentas não apenas direcionam a nossa abordagem ao PE e OKRs, mas também reforçam a nossa capacidade de adaptação e resposta às dinâmicas de mercado, assegurando que permaneçamos à frente da transformação digital em cada empresa que atendemos.


Vamos conversar sobre o Planejamento Estratégico do seu negócio para 2024?




44 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page